Yakisoba Clássico à moda da Paula




Yakisoba Clássico à minha moda, na Cozinha do Quintal

Outro dia bateu uma vontade de comer um yakisoba, meus filhos adoram e eu gosto muito também. Comprar em restaurante japonês ou chinês (existem as versões, com variações) não é opção quando se tem 6 pessoas em casa para comer. Aviso: post looooongoooo rsrsr

E, além disso, meu marido é o "macarroneiro" oficial, portanto a parte da massa é fácil!

Para este yakisoba, usei uma couve-flor bem diferente, que eu não conhecia: a roxa. Depois que ela é cozida, fica azul! Pena que após colocar o molho, essa cor linda se perdeu... Veja antes de cozinhar, que lindo!

Que cores lindas as dessas couve-flores roxas!!


O processo de cozimento dos vegetais é o mesmo que a gente faz quando vai congelar: branqueia-se cada vegetal, para que ele não perca a textura e principalmente a cor. Se você já comeu em um restaurante oriental, com certeza reparou que os vegetais são bem coloridos! Olha os meus, antes do molho (calma que eu já vou dar a receita completa)

Legumes branqueados para o yakisoba, a couve-flor roxa ficou azul =)
Só esses legumes e verduras já fazem um belo prato! Lindo de ver e saudável de comer =)

Muitas receitas usam dois ou mais tipos de carnes no yakisoba, incluindo até mesmo camarão. Eu não tinha outra opção a não ser o frango, então foi com ele mesmo que preparei, se você gostar de misturar carne de frango, de boi, de porco e ainda camarão, vai lá, quem sou eu para dizer que não fica bom, né?

Yakisoba Clássico à moda da Paula:

Para 6 bocas famintas e mais para o dia seguinte ou para congelar

Ingredientes

1 kg de carne de frango (usei sassami, filés gordinhos de peito)
2 cebolas em pétalas
1 couve-flor roxo em buquês
1 pimentão vermelho (enorme) em tiras ou pedaços
1 pimentão verde (grande) em tiras ou pedaços
1/2 acelga cortada em fatias largas
1 brócolis ninja em buquês
3 cenouras grandes cortadas em diagonal para ficar bonito ou em rodelas se você estiver sem paciência
1/2 salsão (somente o talo) cortado em fatias finas
5 dentes de alho amassados ou picados
óleo de gergelim
óleo de girassol
shoyu
5 colheres de sopa amido de milho
1 sachê de hondashi
1 kg de macarrão para yakisoba

Preparo

Se você tiver uma wok, aquela panela oriental que parece uma frigideira funda e larga, use, pois é o ideal. Eu não tenho, por isso usei uma baita frigideira. Caso você também não tenha uma baita frigideira, use a que tiver, claro, e faça aos poucos que também dá certo.

Então, a primeira coisa a fazer é colocar uma outra panela grande com água para ferver. Aqui em casa eu uso a panela de pressão, que é de 6 litros. Adicione uma pitada de sal e aguarde levantar a fervura.

Enquanto a água não ferve, pegue a sua frigideira e aqueça bem. Quando estiver estalando de quente, derrame um tanto de óleo de girassol e um tanto de óleo de gergelim, mais do primeiro do que do segundo. Nunca medi essas quantidades, vai no olho mesmo. Acho que algo em torno de meia xícara de óleo de girassol e um terço de xícara de óleo de gergelim. 

Doure o frango, deixando fritar bem um lado para depois virar e fritar o outro lado. Mantenha uma travessa ao lado e vá reservando o que for saindo da panela. 

Enquanto isso, a água já deve estar fervendo! Comece a branquear os vegetais, os mais duros primeiro, no caso a couve-flor roxa é bem mais firme que a comum, então comecei por ela. Mantenha o fogo alto, ok? Coloque os vegetais e deixe fervendo, até amaciarem. É para ficar al dente, pois ainda vão cozinhar no molho, então vá provando a consistência.

Esse processo de duas panelas parece complicado mas não é, dá para fazer tranquilamente. Enquanto você observa os legumes, vá virando o frango e tirando o que estiver dourado. 

Caso vá usar a couve-flor roxa, a água vai ficar bem violeta, nesse caso o ideal é já ter outra panela fervendo para as outras coisas, assim os legumes não ficarão manchados. 

Retire a couve-flor, escorrendo bem, passe na água fria (gelada é ainda melhor), escorra de novo e reserve. Se for a couve-flor comum, use a mesma água fervendo para as cenouras e o brócolis. Repita o mesmo processo de passar na água fria. 

Pronto, esses são os legumes que são branqueados. Os demais não.

Frango frito e legumes prontos, vamos para a próxima fase: na mesma frigideira do frango, coloque o alho picado, fatiado, a gosto. Deixe dourar e comece a colocar os legumes restantes: primeiro o pimentão verde, o vermelho, o salsão e por último a acelga e a cebola. Refogue, virando constantemente. Junte a couve-flor e as cenouras e misture bem. Não acrescente sal, pois o hondashi e o shoyu são bem salgados, então se precisar, você acerta no fim do preparo.

Legumes refogados, é hora de juntar o frango. Misture bem e mantenha o fogo no mínimo. Separadamente, misture 1 litro de água e 1 envelope de hondashi, mais 5 colheres de amido de milho e dissolva bem. Acrescente 500 ml de molho shoyu, misture bem e coloque na frigideira. Mantenha o fogo alto até ferver e encorpar. Depois, cozinhe com a panela semi-tampada, no fogo baixo, até o frango e os legumes ficarem bem macios.

O hondashi é um tempeiro japonês feito à base de peixe, é ele que dá o sabor característico do yakisoba. Se você não encontrar, dá para fazer, mas não fica igual. Eu gosto muito e uso sempre o da Ajinomoto. Uso também o shoyu da linha Satis, que é delicioso! Estes, olha:

Hondashi Ajinomoto para o yakisoba perfeito

Shoyu Satis Ajinomoto, uso muito e adoro =)


Enquanto os legumes e o frango cozinha, prepare o macarrão segundo as instruções da embalagem. Aqui nós fizemos o macarrão, a massa tradicional apenas cortada fininho, e deu super certo.

E já que está tudo no fogo, indo bem, deixa eu falar uma coisa: compre uma máquina de macarrão e comece a fazer a sua própria massa caseira. As pessoas acham que fazer macarrão é difícil, que nada! Depois que você pega o jeito, nunca mais vai querer comer macarrão industrializado. 

A minha é essa (já estamos na terceira, as duas primeiras ficaram detonadas quando eu fazia macarrão para vender, não é para isso, né? Mas era o que eu tinha na época e elas aguentaram bravamente uma produção de 20 quilos por dia, por isso recomendo com fervor):

Máquina de macarrão Marcato Atlas 150


Não é jabá, viu? Se você me acompanha lá no instagram @cozinhaodoquintal_oficial já viu a minha maquininha em ação. Não sei se o link do vídeo funciona, tente ver aqui.

Acho que vale muito a pena, ela é pequena, desmonta, cabe em qualquer cantinho e você e sua família vão se divertir fazendo macarrão! Dá para fazer espaguete, lasanha, talharim, macarrão oriental, ravióli (Veja se consegue ver o vídeo aqui ó)... Bom demais!!

Voltando para a nossa receita, quando o macarrão estiver cozido, escorra bem e misture tudo: aqui você vai precisar de uma travessa bem grande! Eu uso uma bacia, coloco um pouco de molho com todos os "pertences", depois um tanto de macarrão, vou misturando bem e acrescentando mais dos dois, até que esteja tudo bem misturado. Tudo deve estar bem quente, ok? Daí é só servir!

Meu yakisoba pronto para ser devorado!!
O que sobra pode ser congelado (vendi muito yakisoba congelado, gente! Fica perfeito, viu? Validade 2 meses, use farinha de trigo no lugar do amido de milho) ou pode ser mantido na geladeira e consumido em até 3 dias. Guarde em um pote com tampa.

Enfim, pronto!! Sirva em bowls bem bonitos e se você tiver habilidade, use um par de hashis para comer hahahaha

Yakisoba Clássico à Moda da Paula =) Faz aí e depois me conta!!!


É um desaforo de gostoso, fora que é um jeito de fazer a molecada comer legume sem reclamar.

E enquanto estou cuidando da minha mãe (ainda...), vou postando as comidas conforme dá, estou tentando manter os emails e os comentários do blog em dia mas está difícil, por isso tenha paciência...

No mais é isso, junte os amigos, os parentes e faça um yakisoba bem gostoso! Até breve!!

Ah para quem recebe o post por email, tem os links dos vídeos aqui:

Macarrão para yakisoba
https://www.instagram.com/p/BJEXD7jAzzx

Raviolini
https://www.instagram.com/p/BH8CrDKg8oF/

Se não der certo, vai lá no meu ig e pronto rsrsr
https://www.instagram.com/cozinhadoquintal_oficial/

E para maiores informações sobre o hondashi e o shoyu, vá até o site da Ajinomoto.


http://www.ajinomoto.com.br


Lembrando que a marca tem produtos de linha profissional, ideais para quem faz para vender. Conheça também, vale muito a pena! É a divisão de FoodService, que você pode acessar:


http://www.ajinomotofoodservice.com.br/



 Este post não é um publieditorial. Eu uso mesmo os produtos no meu dia a dia e recomendo.

Cozinha do Quintal, por Paula Mello. Todos os direitos reservados. 2009-2016

Bolo Moreno de Fubá com Goiabada



Um bolo de fubá delicioso com cobertura de goiabada para doces dias =) na Cozinha do Quintal



Já falei que amo bolo de fubá? Então!! Esta receita é a da minha avó Angelina, que já apareceu aqui na minha cozinha (quando eu estava meio chateada, quem lembra? Eu não rsrs) e antes disso, aqui, e eu levo pra todo lado, principalmente quando quero impressionar alguém, é imbatível!

Desta vez eu aproveitei um restinho (tá, estava quase inteira) de goiabada que estava na geladeira e fiz uma cobertura que ficou prá lá de boa. Foi só cortar em pedacinhos, colocar um pouquinho de água e levar ao microondas até virar um creme, fui de 30 em 30 segundos, misturando a cada parada e ficou ótimo!

Um bolo simples, de fubá e um café fresco, coado na hora: tem coisa mais gostosa?

É tão bom quando a gente acerta o bolo, né? Eu não sou uma boleira daquelas profissionais e o meu forno já está desregulado, velho, malcriado, então quando o bolo fica perfeito eu fico me achando rsrs

Este bolo é fácil de fazer e é muito, mas muito bom. Para vender, para presentear, para levar a uma reunião de amigos ou professores da escola do seu filho, para fazer um agrado para a família ou se você estiver precisando mesmo de um docinho, faça, tenho certeza que não terá arrependimento.

O bolo é grande, rende, mas é possível porcionar e congelar. Você pode fazer em formas menores também, como aquelas formas de bombocado, ou em formas individuais pequenas e com o buraco no meio, ou até mesmo em formas de bolo inglês, já fiz e dá super certo (usei 3 formas dessas). Claro que essas invenções precisam de teste e a gente sempre corre o risco do bolo crescer além da forma e derramar no forno. Faz parte.

Olha ISSO e me diz se você não está pensando em ir para a cozinha agora mesmo?

E apesar da simplicidade do bolo, eu achei que ele merecia uma apresentação especial para os meus leitores e leitoras, já que ando sumida do blog, já que os problemas se acumulam, então porquê não caprichar e deixar lindo?

Por isso a Boleira Quadrada da JO Decor é perfeita, porque nela qualquer bolo fica gourmet =)

Olha que charme o pé, as laterais com esse friso... Eu amo a minha!

Boleira Quadrada da JO Decor, linda! Amo de paixão!!


Qualquer bolo fica lindo nessa boleira da JO Decor!
Vamos à receita!

Ingredientes:

2 xícaras de fubá mimoso
1 xícara de farinha de trigo
1 xícara de leite
4 ovos
250 g manteiga
2 xícaras de açúcar
1 vidro de leite de coco (200 ml)
1 colher de sopa de fermento em pó
 
Modo de fazer

Peneirar a farinha de trigo, o fubá e o fermento. Reserve.
Bater a manteiga com o açúcar até ficar claro e fofo. Acrescente os ovos, inteiros e um a um, batendo bem após cada adição.
Acrescente os secos intercalando com o leite e o leite de coco.
Por último coloque sementes de erva doce a gosto (abri e usei 3 saquinhos de chá), um pouco de noz moscada.
Pode-se acrescentar 100g de coco ralado hidratado, a gosto.
Forma beeeem untada e enfarinhada, forno pré aquecido a 180C por mais ou menos 45 minutos ou até que enfiando um palito no centro do bolo, este saia seco.
Deixe amornar e desenforme. Adicione a cobertura de goiabada se desejar (e espero que você deseje porque fica bom demais)

DICA 1: use uma forma para 6 ovos, pois este bolo cresce muito. A minha forma tem 29 cm de largura, de uma borda à outra por 10 cm de altura e sempre uso para receitas com 6 ovos, dá certinho. E embora esta receita leve 4 ovos, ela cresce, então se você não tiver uma forma grande assim, divida em duas menores.

DICA 2: unte muito bem a sua forma, com manteiga mesmo. Em seguida polvilhe bastante farinha, vá rodando a forma nas mãos para que a farinha grude em toda a superfície interna da forma, tudo mesmo, não deixe nem um pedacinho sem untar e sem enfarinhar, ok? Somente assim o seu bolo vai soltar que é uma beleza. Descarte a farinha que estiver solta na forma, ela não é necessária.

DICA 3: a quantidade de manteiga é grande. Este é um bolo de vó, portanto, não é diet, ok? Se for fazer para vender, use margarina profissional com 80% de lipídios - esta informação deve estar na embalagem, procure! Margarinas caseiras não funcionam aqui e o bolo fica ruim, acredite porque eu já tentei, ele não cresce do mesmo jeito e não fica macio.

DICA 4: ovos, leite, tudo em temperatura ambiente, não use gelado! Fermento por último, misturado delicadamente à mão, com um batedor de arame e com amor! Farinha da melhor qualidade possível, escolha mesmo a melhor! Com bons ingredientes, o seu bolo vai ficar perfeito!

Bolo de Fubá com cobertura de goiabada, na Cozinha do Quintal

Olha mais de perto que eu acho que você não viu direito!

Esta fatia é para você, com muito carinho!

Um bolo amarelinho, gostoso, macio, amanteigado. Quando você fizer, tira uma foto e posta com a tag #receitadavodaPaula rsrs 

Na loja virtual da JO Decor você escolhe as suas peças, como esta boleira, a entrega é para todo o Brasil no capricho, tem várias formas de pagamento e ainda tem desconto para os leitores do blog, basta colocar o código cozinhadoquintal no fechamento do seu pedido e ganhar 20% de desconto.

Para quem tem um negócio de comida, um hotel, uma pousada, um restaurante, buffet ou bar, pode comprar com valores ainda menores no atacado, é só entrar em contato que o pessoal da JO Decor passa todas as instruções.
 

JO Decor
Instagram: @jodecor




Este post é um publieditorial. A Cozinha do Quintal ama, usa muito e recomenda JO Decor.

Cozinha do Quintal, por Paula Mello.. Todos os direitos reservados. 2009-2016

Como montar uma marmita com dica de embalagem

Veja como montar uma marmita de sucesso usando a embalagem da Galvanotek G 331


Uma das maiores dúvidas de quem vai começar um negócio de refeições (as famosas quentinhas/marmitex) é o básico mesmo: como montar? como distribuir os alimentos?

Aqui na Cozinha do Quintal nós já demos inúmeras dicas e sugestões sobre o assunto, para ver os posts anteriores, procure o marcador Marmitex, tem tanta coisa! Tenho certeza que muitas das suas dúvidas serão esclarecidas.

Hoje eu vou dar um exemplo prático de montagem de uma marmita além de sugestão de embalagem.

A primeira coisa que você precisa fazer é definir o seu público-alvo, ou seja, quem vai comprar a sua marmita. A partir disso, você terá condições de pensar sobre o tamanho total da marmita e depois, na distribuição de cada elemento para compor o seu prato.

Por exemplo, uma marmita para operários de obra precisa ser bem reforçada, embora o cardápio possa ser mais simples, ela é uma marmita "de peso": em torno de 1 quilo de alimento.

No caso de marmitas para um público mais preocupado com dietas, você deve considerar que uma marmita de no máximo 500g é mais do que suficiente.

Além da diferença no peso, existem diferenças obrigatórias no cardápio. Para dar sequência ao nosso raciocínio, pense que a marmita para operários de obra teria arroz, feijão, uma carne, macarrão e talvez legumes, tudo junto e em boa quantidade.

Já para uma marmita para dietas, o seu cardápio deve ser diferente, com alimentos integrais, funcionais, sem gorduras, com muitos legumes, verduras e carnes magras. Para este tipo de público, o ideal é ter orientação de um nutricionista na elaboração do cardápio, para que você também saiba exatamente o que está vendendo. Não adianta dizer que a marmita é diet ou fitness se o cliente perguntar quantos gramas de proteína tem e você não souber responder.

Por outro lado, pense que o mercado de pessoas que "se cuidam" e que precisam de uma alimentação mais equilibrada vem crescendo sempre. A alimentação balanceada e natural está super na moda.

Vamos ver a minha sugestão: o prato é composto por arroz com cenoura, feijão carioca e frango com shoyo.

A sua comida vai ficar linda e apetitosa na Bandeja Galvanotek G 331


A distribuição dos alimentos ficou assim:

Distribua os alimentos de acordo com o perfil do seu público, esse é o segredo para uma marmita bem feita =)


Ainda poderia ser um pouquinho menos, em torno de 450g, que é o tradicional do mercado para esta opção, a minha ficou com exatos 500g.

Para acondicionar os alimentos de forma segura, higiênica e prática, eu recomendo esta embalagem da Galvanotek, que se chama "Bandeja para Refeição com 3 Divisórias Baixa", a G 331.

Ideal para refeições congeladas, pois vai do freezer para o microondas sem o menor problema.

Bandeja para Refeições da Galvanotek, perfeita! A G 331 comporta até 500g de alimentos com toda segurança.


A tampa fecha super bem e a embalagem resiste até 100 graus de calor na comida. Para congelar, aguarde esfriar e depois tampe, para evitar a formação de gelo na parte de dentro da tampa, isso não estraga o alimento mas deixa o cliente na dúvida se o congelamento foi feito corretamente, além de ficar feio.

A bandeja G 331 é mais baixa, tem acabamento impecável e é certificada para alimentos.
A comida fica muito bem apresentada, você não acha?
Caso você vá investir nesse negócio com tudo, recomendo que você pesquise sobre o supercongelador, um equipamento que congela o alimento super rápido, mesmo estando quente, evitando a formação de cristais de gelo. Um equipamento caro, super profissional, mas que vale a pena quando o seu negócio já estiver engrenado.

Fala a verdade, dá gosto de ver uma marmita bem montada e apetitosa!


Então, resumindo as dicas essenciais para uma marmita deliciosa:

- higiene absoluta (não esqueça de higienizar as embalagens antes de colocar o alimento!)

- variedade e riqueza de sabores para conquistar a clientela exigente

- aproveite as safras e utilze legumes e verduras da época, sai mais barato

- elabore o seu cardápio, faça testes das receitas para ver o rendimento, o custo e a melhor combinação de alimentos 

- utilize a ficha técnica na elaboração dos seus custos, já ensinamos aqui no blog e é uma mão na roda para administrar o seu negócio, leia o post completo aqui.
- use somente embalagens certificadas, como as da Galvanotek, para oferecer segurança alimentar para o consumidor, aproveite e leia também o artigo sobre a responsabilidade civil do empreendedor de alimentos, é muito importante!! Clique aqui para ler o artigo.
 
- por último, é preferível um cardápio simples e seguro, com orientação nutricional, do que colocar a saúde das pessoas em risco, principalmente se você for vender para aquelas com restrições alimentares (como celíacos, diabéticos, etc). Todo o cuidado é pouco. Procure ajuda profissional, o investimento compensa!

Apostila Digital Marmitex Cozinha do Quintal
Espero que vocês tenham gostado e aproveito para convidá-los a conhecer a minha apostila de Marmitex, com tudo o que vocês precisam saber para iniciar o negócio em casa.

Destaque para o módulo de cálculo, bem explicadinho, passo a passo, com planilha com fórmulas e tudo!

 Para ver tudo o que tem na apostila e adquirir a sua vá até a loja do blog:





As embalagens da Galvanotek me acompanham há anos. Usei muito as bandejas quando vendi marmita, foi um sucesso! Além de seguras, elas são lindas e valorizam ainda mais a sua comida.



Conheça as embalagens no site da Galvanotek:

E acompanhe a Galvanotek no facebook:

https://www.facebook.com/galvanotek/



Este post é um publieditorial de interesse do microempreendedor de alimentação.
A Cozinha do Quintal usa e recomenda Galvanotek.

Cozinha do Quintal, por Paula Mello, todos os direitos reservados. 2009-2016.

Faça e Venda Sopa de Cebola com Sugestão de Embalagem


Faça e Venda Sopa de Cebola, receita perfeita para o inverno =)





A sopa de cebola está na moda novamente, principalmente por causa da semana da sopa no Ceagesp aqui de São Paulo, um verdadeiro evento gastronômico que acontece todo ano para aquecer as noites geladas da cidade.

Além dela, hoje trago também como sugestão para venda o Caldo Verde, que já apareceu aqui no blog (com vídeo inclusive, clique aqui no link para ver o post mais antigo). É uma receita simples, que fica uma delícia e é ideal para vender porque é barata e rende muito.

Vamos ver as receitas?
 
Caldo Verde, uma delícia para faturar no frio!

Caldo Verde (receita da minha sis Isabel)

6 batatas médias descascadas e cortadas em fatias
75g de bacon em cubinhos
2 paios
4 linguiças portuguesas
1/2 maço de couve
3 dentes de alho
1 cebola picada
1/2 xícara de salsa
1/2 xícara de cebolinha
sal a gosto

Em uma panela grande coloque um fio de óleo e frite bem o bacon, até dourar. Retire e coloque sobre uma peneira de metal com um recipiente embaixo para colher a gordura ou deixe sobre papel toalha.

A seguir, coloque as linguiças, aos poucos, fritando bem. Vá retirando e colocando sobre a peneira. Faça o mesmo com os paios. Quando terminar, retire a gordura da panela, coloque em um recipiente para esfriar e depois descarte.

A seguir, na mesma panela, coloque o alho e a cebola e deixe dourar, mexendo constantemente, a cebola deve ficar transparente. Adicione as batatas e água suficiente para cobrir. Assim que levantar fervura, abaixe o fogo e cozinhe tampado, ou na pressão, até as batatas amaciarem.

Quando as batatas estiverem prontas, bata no liquidificador, alternando com o caldo.  Vá despejando em uma panela grande. Ao terminar de bater, coloque as linguiças, o paio e o bacon que estavam escorrendo e leve ao fogo.

Adicione a couve cortada bem fininho, corrija o sal se necessário, pois as linguiças e o bacon são bem salgados. Acrescente a salsa, a cebolinha e se desejar, orégano e outros temperos que gostar.

Abaixe o fogo e deixe cozinhando, mexendo de vez em quando, até a couve ficar macia.
Se necessário acrescente mais água, a consistência do caldo verde não é muito grossa e encorpada, pelo contrário, é leve e fluida.  Sirva bem quente com um fio de azeite em cima.


Faça e Venda SOPA



Sopa de Cebola do Ceagesp (receita original daqui)

1 kg de cebola
1/2 kg de músculo ou carne magra
300 g de tomate
200 g de cenoura
250 g de farinha de trigo
150 g de queijo parmesão ralado
100 g de manteiga ou margarina
4 litros de água
300 ml de vinho branco
2 talos de salsão
1 alho-poró inteiro, com folhas
2 dentes de alho
1 folha de louro
1 pão francês
Sal e pimenta do reino a gosto

Em uma panela grande (capacidade para seis litros), refogue, na manteiga, o alho, as 2 cebolas (cordadas em 4 pedaços), a cenoura, o alho-poró, o músculo, tudo previamente picado, com a folha de louro, sal e pimenta do reino. Acrescente a água e cozinhe em fogo baixo por dez horas ou em panela de pressão por uma hora. Em outra panela, adicione a manteiga, a farinha e a cebola (cortada em tiras finas), e mexa até que fique tudo bem misturado. Adicione o caldo e refogue por 20 minutos. Finalize com o vinho branco e deixe evaporar por aproximadamente 5 minutos.Transfira para uma sopeira, corte fatias grossas de pão francês e mergulhe na sopa. Acrescente o queijo parmesão ralado. Leve ao forno entre 180ºC e 200 ºC, por dez minutos para gratinar. Sirva bem quentinha.

Embalagens Simplific Galvanotek na Cozinha do Quintal
Certo, mas como eu sempre digo, nada como testar a receita para ver como ela funciona na prática! Fiz as minhas alterações, vou comentar cada uma delas:

Primeiro, não usei tomate. O preço está muito alto e acho que encareceria demais a sopa. O alho-poró é outro que não usei, porque não encontrei mesmo e acredito que não faça taanta diferença assim.

Achei a quantidade de farinha exagerada, idem para a manteiga.

Outra coisa que eu não gostei foi da cor da sopa. Se é de cebola, não pode ficar cor de laranja (por causa da cenoura na receita). Na próxima, vou usar a mesma quantidade de batatas, assim terei uma sopa clara como uma sopa de cebola deve ser.

Não usei o vinho. Acho que encarece também e muitas pessoas não gostam, mesmo ele sendo evaporado.

Não usei a carne porque não vejo sentido em uma sopa de cebola ter carne rsrs

E finalmente, com relação ao salsão: na próxima vou juntar os caules e amarrar com barbante e retirar no final do cozimento, porque apesar de ter batido super bem, ainda encontrei fiapo. E vamos combinar, fiapo na sopa ninguém merece, certo? As folhas não tem problema.

Sopa de Cebola é uma delícia! Na embalagem Simplific da Galvanotek fica melhor ainda!
Então, a receita do MEU jeito ficou assim: numa panela grande coloquei 4 litros de água, como manda a receita. Acrescentei a cenoura picada, o salsão e meus temperos: orégano, tomilho, uma folha grande de louro, além de cebolinha. Tampei e deixei ferver, abaixei o fogo e deixei cozinhando.

Em outra panela, dourei apenas 50g de manteiga e coloquei 4 dentes de alho fatiados bem fininho. Dourou, foi a vez da cebola, picada para ir mais depressa, pois um quilo de cebola é bastante. Quando murchou, coloquei a cebola na outra panela com a água e os legumes, misturei bem e fechei para pegar pressão. Cozinhei por 20 minutos e bati tudo no liquidificador. Na última leva que coloquei para bater, acrescentei 5 colheres de farinha de trigo dissolvidas em um copo de água fria mesmo. Bateu, voltou para a panela e mantive em fogo alto, mexendo até ferver novamente e engrossar. Corriji o sal. Pronta.


Potes de 500ml da Linha Simplific Galvanotek com a minha sopa de cebola!
O resultado é uma sopa encorpada mas não um creme, é leve, tem um sabor acentuado de cebola (claro né rsrs), o salsão deu um perfume e um sabor ótimo, muito bom mesmo. Percebe-se bem o sabor da manteiga, por isso não precisa exagero, os 50g foram suficientes, acredito que se fossem os 100g da receita original ficaria muito engordurado.

Como eu falei, só não gostei da cenoura, na próxima vou substituir por batata e terei um creme mais liso e sedoso, além da cor mais clara, que eu acho importante, porque pode parecer para o seu cliente que ele está sendo enganado, afinal, cenoura na sopa de cebola prá quê, né gente?

Duas opções saborosas: caldo verde e sopa de cebola, nos potes de 500ml Simplific da Galvanotek
De qualquer forma, o sabor é muito bom. Não gratinei nem coloquei pão, pois a sopa foi para o pote. Esses potes são da Linha Simplific da Galvanotek e são ótimos para sopa, fecham bem e cabe bastante, 500ml é uma porção de sopa bem farta.

A Linha Simplific conta com vários volumes disponíveis para você escolher e encontrar o que mais se adapta para o seu caso. Por exemplo, tem um de 350ml que pode ser utilizado para uma porção individual.

Caldo Verde, especial para vender: tem excelente custo, rende e é uma delícia!


São muito bons para usar para vender. O pacote vem com os potes e as tampas, sempre com 25 unidades, só o de um litro que vem com 20 unidades no pacote. Eles vão do freezer ao microondas com segurança, pode usar tranquilamente.

O pote de 500ml da Linha Simplific é perfeito para garantir a qualidade da sua sopa.




Conheça as embalagens no site da Galvanotek:

E acompanhe a Galvanotek no facebook:

https://www.facebook.com/galvanotek/



Este post é um publieditorial de interesse do microempreendedor de alimentação.
A Cozinha do Quintal usa e recomenda Galvanotek.

Cozinha do Quintal, por Paula Mello. Todos os direitos reservados. 2009-2016.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Protetora da Cozinha do Quintal

Santa Clara

Santa Clara
Ilumine nosso caminho!

Ajude a FIC

Fraternidade Irmã Clara

Conheça uma casa especial
para crianças especiais!!

Direitos Autorais

É proibido fazer cópias do conteúdo (imagens, textos, etc) da Cozinha do Quintal. Plágio (copiar) é crime previsto no artigo 184 do Código Penal Lei 9610.