Como a internet das coisas vai mudar a sua vida

em 21 de setembro de 2016



 
A Internet das Coisas vem do inglês, Internet of Things (IoT) é uma revolução tecnológica a fim de conectar aparelhos eletrônicos do dia a dia. Vem surgindo cada vez mais eletrodomésticos, relógios e até mesmo tênis e fechaduras que se conectam a internet e a outros aparelhos, como smartphones e tablets. O objetivo é que o mundo se torne aos poucos mais conectado. 


O universo físico e o digital estão no processo de se tornar uma coisa só. O que tudo indica esse movimento vai crescer até verdadeiramente revolucionar a nossa relação com a tecnologia.

De acordo com uma pesquisa recente da Unidade de Inteligência Economista (EIU), que mostra que 96% dos líderes de negócios esperam que seus negócios estejam usando Internet das Coisas, de uma forma ou de outra, ainda em 2016. 

A idéia de conectar objetos é discutida desde 1991, mas só recentemente vimos o começo da aplicação de várias tecnologias se tornando realidade. A internet das coisas (IoT) começa a se apresentar através de dispositivos que se comunicam com os outros, os datacenters e suas nuvens. 

Aparelhos que podemos vestir, como o Google Glass e o Smartwatch 2, da Sony, aumentam a mobilidade e transformam a nosso modo de se conectar. A tecnologia que integra até mesmo o interior da nossa casa aos nossos celulares, como estamos vemos no novo HomeKit da Apple, está tornando a presença da internet em diversos objetos em uma realidade a beira de acontecer. 

Mas atenção, com a multiplicação dos sensores inteligentes, crescem também as portas de entrada para ataques cibernéticos. O risco de hackers controlarem dispositivos industriais, veículos e artigos pessoais é real. Estes riscos terão de ser neutralizados antes que a tecnologia atinja seu auge, em parte com medidas preventivas e ações conjuntas de equipes profissionais.

O impacto no nosso cotidiano certamente será enorme. E não falta muito tempo para começarmos a ver grandes mudanças. Um bom exemplo é o do protótipo Mobii. Ele pretende reinventar o interior dos carros, e está sendo desenvolvido pela Ford e pela Intel.

Ao entrar em um carro com essa tecnologia, uma câmera vai fazer o reconhecimento do rosto do motorista, a fim de oferecer informações sobre seu cotidiano, recomendar músicas e receber orientações para acionar o mapa com GPS. Se o sistema não reconhecer a pessoa, ele tira uma foto e manda as informações para o celular do dono, evitando furtos. Esse é um exemplo de um carro dentro de um ambiente da Internet das Coisas, com acessórios online e agindo de maneira inteligente. 

Com tudo conectado, sobra mais tempo para o que é importante: o seu negócio!


E claro que para nós, empreendedores de negócios caseiros, seria muito bom ter toda essa tecnologia funcionando a nosso favor. Já imaginou a sua geladeira fazendo o controle do estoque do seu negócio? E ela já existe, inclusive faz o pedido do que está faltando antes mesmo que o produto acabe e pode ser administrada pelo smartphone, além disso a geladeira envia uma mensagem se houver algum problema, como por exemplo, se você esquecer a porta aberta. Ela já está no mercado da Coréia.

O que ainda nos impede de usar tudo isso é o custo, só que tudo é assim, começa caro e depois os valores vão se ajustando na medida em que os aparelhos ficam mais populares e vão sendo cada vez mais usados.

Ainda, segundo a equipe da net banda larga, 60% dos 779 líderes de negócios globais que participaram da pesquisa da Unidade de Inteligência Economista (EIU)  concorda que empresas lentas para se adaptar a Internet das Coisas ficarão para trás de seus competidores.

No entanto, isso não vale apenas para grandes corporações. A Internet das Coisas também oferece muitas oportunidades para as pequenas e médias empresas. Na verdade, ao investir em aplicações e tecnologia ao invés de contratar mais pessoas, as PMEs e startups podem ser igualmente - ou até mais – competitivas, mesmo continuando pequenas.

As possibilidades que surgem com a Internet das Coisas são infinitas. Como consumidores, teremos de esperar mais alguns anos antes de ver estas tecnologias realmente dispararem na América Latina. Está começando aos poucos, como a zona azul eletrônica que já está sendo implantada em São Paulo.

Entretanto, quem trabalha ou pretende trabalhar na área de tecnologia deve desde já preparar a Infraestrutura de TI dos negócios para esta nova realidade. Com todas as ferramentas para o sucesso disponíveis, não há época melhor do que está para começar a se integrar.

Ninguém pode ignorar que a Internet das Coisas é uma tecnologia com muito potencial. Não fique por fora, confira abaixo um infográfico sobre o que vem por aí (clique na imagem para ver em tamanho real):



A internet das coisas infográfico

Este post é um publieditorial.

Cozinha do Quintal, por Paula Mello. Todos os direitos reservados. 2009-2016


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários serão lidos e depois publicados.
Verifique se a sua dúvida já foi respondida nos comentários anteriores. Se preferir, mande um email pra mim no paulamellomorgana@hotmail.com
Comentários mal educados, preconceituosos ou com propaganda são excluídos. Encontrou um erro ou informação faltando? Me avisa? Obrigada!! beijossssssss



Subir