Escondidinho de Carne Seca

em 7 de julho de 2020

Escondidinho de Carne Seca Cozinha do Quintal

Escondidinho de Carne Seca

Nem é receita, é mais um jeito de fazer batata com recheio rsrs

Usei um pacote de carne seca (1 quilo), batatas em purê (não sei dizer a quantidade, no meu caso foi o suficiente para 5 pessoas, costumo calcular mais ou menos 2 batatas grandes por pessoa), feito com 1 caixinha de creme de leite e 1 xícara de leite, mais umas duas colheres de manteiga.

Com a carne seca, preparei limpando bem a gordura, cozinhei na panela de pressão por 50 minutos e depois desfiei, retirando mais um pouco da gordura. Ainda vou experimentar aquela pronta de caixinha, por que olha... não rende muito quando a gente retira a gordura...

Refoguei a carne seca com alho, azeite, bastante temperos. Não coloquei sal.

Carne pronta e purê pronto, é só montar: untei o refratário com manteiga, coloquei uma camada de purê, toda a carne seca, muito queijo mussarela por cima da carne seca, mais uma camada de purê e mais uma camada generosa de queijo mussarela. Muito orégano e azeite e foi para o forno aquecer e derreter os queijos.

No forno ficou 20 minutos a 200 graus, mas se você quiser pode montar com os ingredientes frios e manter na geladeira ou até mesmo congelar, para aquecer depois, dá certo também.

Escondidinho de Carne Seca Cozinha do Quintal

É uma comida de conforto que permite muitas combinações, batata vai bem com qualquer coisa. Aqui em casa já fiz só com legumes refogados, ficou ótimo! Com calabresa e cebola, com presunto e queijo, com carne moída, com sobras de carne assada, com frango e requeijão, enfim, com o que você tiver sobrando na geladeira ou com o que te der na telha.

Escondidinho de Carne Seca Cozinha do Quintal

Deu para a família toda e o almoço de domingo foi isso e mais uma salada. E estava bom! Faça, invente a sua versão!

Para vender, você pode montar em embalagens que possam ir ao microondas, ou nas tradicionais marmitas de alumínio retangulares. Vendi muito escondidinho! O de frango com requeijão sempre vendeu muito bem. E eu tinha uma versão com palmito que também vendia muito.

Não esqueça de fazer a ficha técnica para levantar os custos certinhos, mas olha, essa é uma receita super barata (claro, depende do recheio, com carne seca fica cara mesmo!) e tem ótimo lucro.

No mais continuamos engordando na quarentena, fazendo tricô e crochê e cuidando dos novos dogs da casa (Connor e Ace).

Esse é o Connor:

Connor meu Highlander! Na Cozinha do Quintal

Connor e Ace juntinhos:

Connor e Ace Na Cozinha do Quintal

Ace no dia em que chegou aqui em casa:

Ace Na Cozinha do Quintal

Volto em breve =)

Enquanto isso, continuem se cuidando bem!

Cozinha do Quintal por Paula Mello todos os direitos reservados. 2009-2020

Almôndegas Fáceis e Deliciosas em 2 Versões

em 6 de junho de 2020

Almôndegas Fáceis e Deliciosas em 2 Versões na Cozinha do Quintal. Esta é a versão empanada!


Almôndegas ou porpetas, como eu chamo, esta receita básica aprendi com minha mãe e ao longo dos anos fui modificando para que ficasse mais ao meu gosto.

Aqui em casa eu faço sempre as duas versões: empanadas (passadas no ovo batido e farinha de rosca) e sem empanar, para agradar a todos.

Ingredientes para almôndegas fáceis e deliciosas


Massa básica

1 kg de carne moída (usei patinho, porque é magro)
1 cebola ralada (opcional, use se quiser um "crocantinho" na sua porpeta)
1 ovo inteiro
1 dente de alho
temperos secos a gosto (orégano, louro, tomilho, alecrim, etc)
4 pães franceses amanhecidos
sal o quanto baste
1 maço de salsinha bem batidinha (não usei nesta vez porque não tinha!)

Modo de fazer

Coloque os pães em uma tigela funda e adicione água até que fiquem ensopados. Deixe alguns minutos para que fiquem molhados por dentro. Esprema para retirar a água e coloque em uma tigela grande.

A seguir, coloque a carne moída, os temperos, o ovo inteiro, o sal e os pães espremidos, a cebola, a salsinha e amasse bem, como se estivesse sovando pão, para que fique uma massa bem homogênea.

Se a massa estiver muito mole, não enrolando as bolinhas, acrescente um pouco de farinha de rosca, caso não tenha, pode usar um pouco de farinha de trigo ou até mesmo fubá.

Enrole as bolinhas, apertando suavemente entre as mãos para deixá-las compactas, assim não vão esfarelar nem arrebentar na hora da fritura.

Frite em óleo quente, em boa quantidade, poucas por vez, até dourarem. Escorra em papel toalha e sirva.

Para empanar, o processo é o mesmo de qualquer empanado, ovo batido (ou só a clara se for para vender) e farinha de rosca (= farinha de pão, pão amanhecido ralado).

Almôndegas Fáceis e Deliciosas em 2 Versões na Cozinha do Quintal. Esta é a versão empanada!


Você pode colocar as almôndegas em um molho de tomate e servir junto com um macarrão ou polenta, bem quentes, com bastante queijo ralado, azeite, fica divino. Ou no dia a dia, com um arroz fresquinho, cheio de legumes, é um prato sensacional e saudável para as crianças e os idosos =)

Enriqueça a receita de almôndegas!


Para estas duas versões, eu acrescentei:

1 cenoura ralada no ralo fino - se não tiver um ralador mais fino, rale no mais grosso e depois picote com uma faca afiada.

1 xícara de farinha de sorgo - a farinha de sorgo é super saudável, antioxidante natural e não deixa sabor nenhum

1/2 xícara de farinha de aveia - a farinha de aveia é super saudável também, mas ela deixa as preparações um pouco pesadas, por isso use pouco. Substitua por farinhas integrais, como as de beringela, de grão de bico, de quinua, ou outra de sua preferência. ou por aveia em flocos, que deixa super crocante e é uma delícia, infelizmente no dia em que fiz eu não tinha, se tivesse teria colocado com certeza. Use uma ou outra versão da aveia.

Use grãos integrais para dar crocância e sabor às suas porpetas, como linhaça, chia, trigo integral ou sarraceno, quinua, castanhas, enfim, vale a criatividade e as suas preferências.


Almôndegas Fáceis e Deliciosas em 2 Versões na Cozinha do Quintal. Esta é a versão normal, sem empanar.


Dicas para vender suas almôndegas


Para vender, você pode "aumentar" a receita usando proteína de soja texturizada, de preferência a escura, para que ela fique homogênea na carne. A proporção ideal é 250g de proteína de soja para 1 kg de carne. Mais soja do que isso pode deixar a sua preparação ruim, com sabor de ração de cachorro.

A proteína de soja ajuda a baratear o custo, já que a carne está realmente caríssima. Mas use com bom senso e na proporção que eu indico, assim você economiza um pouco e não perde tanto em qualidade, ok? Ela também acrescenta um fator saudável na preparação, pois contém ferro e muitas fibras.

Prepare a proteína de soja com antecedência e da maneira correta, lave bem em bastante água corrente em uma peneira e deixe de molho em água quente  por 20 a 30 minutos, escorra e esprema bem em seguida.

Eu vendia, nos meus tempos de marmiteira, uma embalagem de almôndegas com 500g, no molho. Sempre no molho, porque a idéia não é vender apenas a porpeta, mas sim o prato: almôndegas ao sugo, ao molho branco (ahhh que delícia!!! vendi muuuito) e a proporção ideal para venda é:

200g de almôndegas
300g de molho

Você pode usar as embalagens de alumínio, de plástico ou de isopor, todas são boas, desde que tenham certificação para uso com alimentos. Um queijinho ralado por cima dá aquele toque especial.

As almôndegas podem ser congeladas individualmente, sem molho: coloque em uma assadeira grande levemente untada com óleo e cubra bem com plástico filme, no dia seguinte, ensaque e coloque a validade de 3 meses.

Congelando assim, sem molho, você pode optar por congelar já fritas ou sem fritar (neste caso, sem fritar, validade 30 dias).

Se for congelar dentro do molho, elas duram de 30 a 45 dias no máximo, em pote bem fechado, com tampa. Neste caso, as porpetas não devem ser empanadas e devem estar fritas.

Almôndegas FIT


Você também pode criar uma versão fit desta receita, usando as dicas das farinhas integrais e dos grãos, neste caso não empane e nem use farinha de trigo.

Pode substituir a carne de vaca por frango moído e pode usar a proteína de soja texturizada clara, que não tem o corante caramelo e fica bem homogênea na mistura. Use a abuse dos temperos para dar sabor, porque tanto o frango quanto a soja são insossos e pedem mesmo um tempero caprichado.

Para uma versão sem carne nenhuma, você pode pesquisar receitas à base de lentilhas, de abóbora e a mais gostosa, na minha opinião, a de beringela. Se você retirar o ovo, terá uma versão vegana.

As versões FIT devem ser assadas no forno, coloque as almôndegas em uma assadeira levemente untada com óleo e leve ao forno médio, em torno de 180 graus, até dourarem, aproximadamente 30 minutos.

Aqui tem uma receita de almôndega de beringela muito boa.

Como em todas as receitas para vender, é necessário testar, fazer modificações e testar de novo ATÉ dar certo.

Ética nos negócios caseiros também é importante! 


Informe corretamente TODOS os ingredientes, principalmente se for usar a proteína de soja, por que tem gente alérgica e você não vai querer problemas, certo? Coloque tudo certinho, na honestidade mesmo.

Informe também as datas de fabricação e validade.

Não esqueça de informar os seus dados de contato!

Por fim, não esqueça de usar a ficha técnica para controlar os custos e padronizar a sua receita, já mostrei tudinho da ficha em detalhes no post:



Como Usar a Ficha Técnica no seu Negócio de Alimentos



Almôndegas Fáceis e Deliciosas em 2 Versões na Cozinha do Quintal. Esta é a versão normal, sem empanar.


Estou um pouco ausente do blog (e do facebook, fechei o Instagram),  por vários motivos, desde a limpeza do meu quintal que estava um verdadeiro matagal, até estudos de outros assuntos que não têm nada a ver com comida, mas que são importantes para mim.

Também estou produzindo novos conteúdos, como ebooks e dando os primeiros passos para criar um curso online, aprendendo a imensidão de coisas necessárias para isso, o que tem sido bem legal e ao mesmo tempo um grande desafio pela minha ignorância total rsrs

Além disso, espero ansiosamente a chegada de dois filhotinhos de cachorro, um pastor alemão (que já ganhou o nome de Connor) e um husky, desejo antigo da minha filha (que já ganhou o nome de Ace). Desde que a minha cachorra Lola morreu sentimos uma falta terrível dela e a necessidade de ter a companhia e a amizade desses seres incríveis que são os cachorros.

Quero ver como vai ser a interação dos dois doguinhos com o Kira, o gato da casa rsrs

Depois venho mostrar e contar para vocês como vai indo esta aventura.

No meio tempo, um monte de crochê para aliviar a neurose da quarentena rsrs e as minhas peças estão no meu ig pessoal onde estão também as fotos dos cachorros, do gato, dos filhos, do marido (35 anos juntos!!!) das comidas e de todas as coisas abençoadas que fazem parte da minha vida, se quiser me acompanhe lá:


IG Paula Mello


Esse Instagram é a minha "casa no campo": lá tem meus discos e livros,  meus amores e meus amigos rsrs minhas andanças por aí e pensamentos aleatórios que me encontram vez por outra. Tem umas receitas também, mas não é o Instagram do blog, ok? É o da Paula =)

Aos poucos a vida vai voltar ao normal, tenho fé que passaremos por mais esta fase difícil de provação coletiva.

Continuo nas minhas preces diárias pedindo por todos nós, principalmente pelos empreendedores que estão na luta para sobreviver a esta crise.

Meu email continua à disposição! Escreva pra mim se quiser. Enquanto isso, fique em casa se puder, tenha paciência, aproveite seu tempo para aprender e estudar, planeje seu negócio, teste as suas receitas e fique bem, em paz, porque não há noite que dure para sempre.

Obrigada a todas as pessoas lindas que me escreveram ultimamente, perguntando sobre mim, pelo meu sumiço, se está tudo bem! Está! Tenham certeza que junto com o email de vocês veio abraços, beijos e muita energia, que mando de volta, com muito amor, a todos os que por aqui passam.

Fiquem com Deus


Cozinha do Quintal, por Paula Mello. Todos os direitos reservados. 2009-2020.


Bolo Floresta Negra Trufado

em 13 de maio de 2020


Bolo Floresta Negra Trufado Cozinha do Quintal


Minha filha Fernanda completou 21 anos no dia 11 e para comemorar eu fiz este bolo, que ficou do jeito que ela queria. Na verdade é a adaptação e junção de uma massa ótima e dois recheios muito bons.

Eu não sou de fazer bolos elaborados e confesso que não tenho o dom da decoração, mas em termos de sabor ficou sensacional e recomendo que você experimente.

A massa é a de sempre: Nega Maluca. Não tem massa melhor nesse mundo de bolo na minha opinião: com achocolatado a gente consegue um resultado mais doce, perfeito pra criançada. Com cacau em pó ou chocolate em pó, o resultado é um bolo mais fino, rico, de sabor intenso de chocolate, com textura perfeita para aguentar recheios.

Como a minha avó dizia, não inventa! Por isso meus bolos de chocolate sempre ficam bons rsrs

Bolo Floresta Negra Trufado


Massa

3 ovos inteiros
3 xícaras de farinha de trigo
2 xícaras de açúcar
1 xícara de óleo
1 xícara de leite em temperatura ambiente
1 xícara de chocolate em pó ou cacau em pó
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colherinha de bicarbonato de sódio
1 pitadinha de sal

Misture todos os ingredientes muito bem, até obter uma massa lisa, cremosa e uniforme.

Coloque em 2 formas untadas e enfarinhadas e leve para assar em forno pré-aquecido a 180 graus por 30 a 40 minutos, ou até que enfiando um palito no centro dos bolos, ele saia limpo.

Minhas formas são iguais e têm 20 cm de diâmetro e 4 cm de altura com fundo removível, então untei o fundo com margarina, coloquei um disco de papel manteiga e untei o papel manteiga. A seguir enfarinhei bem.

Deixe esfriar e desenforme. Retire a parte de cima dos bolos para que todos os discos fiquem bem retinhos, todos iguais. Você pode congelar essas "tampas" de bolo e usar depois.

Corte cada bolo ao meio não sentido horizontal para obter 4 discos de massa.

** Dicas:
Use os ovos e o leite em temperatura ambiente, faz toda a diferença.
Peneire a farinha junto com o açúcar e o chocolate, fica um bolo muito mais leve.
Use óleo de girassol.

Bolo Floresta Negra Trufado Cozinha do Quintal


Recheio de Chantilly e Cerejas em Calda


1 caixinha de Amélia-mix ou outro bate-chantilly da sua preferência ou chantilly fresco (500 ml)
2 vidros pequenos de cerejas em conserva (300g no total)

Escorra as cerejas sobre uma peneira e reserve a calda. Separe algumas para decorar e pique as restantes. Reserve.

Bata o chantilly até obter picos firmes. Separe em 2 porções iguais. Em uma porção acrescente as cerejas escorridas e picadas e misture bem. Mantenha as duas porções na geladeira até a hora de usar.

Recheio de Trufa de Chocolate


1 caixinha de creme de leite
1 colher de sopa de manteiga
150g de chocolate em barra da sua preferência (usei 100g ao leite e 50g meio amargo)

Em uma panela de fundo grosso leve ao fogo baixo o creme de leite, a manteiga e aqueça. A seguir, coloque o chocolate bem quebrado em pedaços pequenos e misture com uma espátula. Continue misturando até derreter. Retire do fogo e passe para um recipiente. Leve à geladeira para ficar consistente, bem cremoso. Isso deve demorar umas 2 horas. Se estiver com pressa, coloque no congelador e acompanhe para ver o ponto.

Bolo Floresta Negra Trufado Cozinha do Quintal

Montagem do Bolo Floresta Negra Trufado


Em um prato de servir coloque 1 disco de bolo, regue com a calda e coloque metade do recheio de chantilly com cerejas. Adicione o segundo disco de bolo e regue.

Leve ao congelador ou freezer por 20 a 30 minutos.

Prepare uma tira de papel alumínio de mais ou menos uns 10 cm, ou use papel manteiga, ou uma tira de acetato se você tiver, ou ainda uma cartolina forrada com papel alumínio ou papel manteiga. Retire o bolo do freezer e coloque a tira preparada em volta do bolo todo, juntando bem para que a tira fique bem ajustada ao bolo. Coloque uma fita adesiva para segurar a ponta da tira, ou amarre com uma fita ou barbante.

A seguir, despeje todo o recheio de trufa sobre o bolo, espalhe uniformemente para cobrir todo o disco, ajeite com uma colher e em seguida, coloque mais um disco de massa e regue bem com a calda. Leve novamente ao freezer ou congelador por 20 a 30 minutos.

A última camada: retire do freezer e espalhe a outra metade do recheio de chantilly com cerejas, cobrindo bem e com cuidado para não rasgar o papel alumínio. Coloque o último disco de massa e regue bem com a calda. Leve novamente ao freezer por no mínimo 1 hora.

Prá facilitar, a sequência é assim:

disco
chantilly com cerejas
disco
trufa
disco
chantilly com cerejas
disco
cobertura de chantilly

Retire do freezer e cuidadosamente remova a tira de papel, com o máximo de cuidado para não quebrar as laterais do bolo.

Cubra com o chantilly restante reservado e decore a gosto. Eu coloquei cerejas e chocolate ao leite branco ralado. Você pode usar também granulado, raspas de chocolate ao leite, meio amargo, pode usar frutas, enfim, vai do que tiver em mãos ou do que gostar.

Leve à geladeira por 2 horas antes de servir. Rendeu 10 porções muito generosas.

Bolo Floresta Negra Trufado Cozinha do Quintal


Cozinha do Quintal por Paula Mello. Todos os direitos reservados. 2009-2020

Polenta com Ragu de Linguiça e Carne

em 1 de maio de 2020

Polenta com Ragu de Linguiça e Carne na Cozinha do Quintal

Comida de conforto que eu adoro, é simples, fácil, delícia para noites mais frias ou para quando são muitas bocas para comer.

Polenta é uma das comidas mais antigas do mundo. Dizem que os soldados romanos comiam uma versão feita com aveia, porque o milho é das Américas e naquele tempo eles ainda não conheciam o grão.

Quando o milho chegou na Europa, na época dos "descobrimentos" (entre aspas porque o descobrimento foi deles, certo? A gente já existia!) o ingrediente se espalhou e os italianos se apropriaram da polenta, que na minha opinião é muito nossa: o angu de fubá alimentou milhões de índios nas Américas, também os escravos e continua alimentando nosso povo há séculos.

Na segunda guerra os pracinhas brasileiros faziam polenta na tábua: uma porção de polenta gigante coberta com carnes cozidas - carnes que eram caçadas na hora e podiam incluir de tudo... cada um pegava um naco de pão e retirava uma porção de polenta e de carne. Assim vários soldados podiam comer juntos sem ter os confortos de pratos e talheres.

Eu gosto de fazer com fubá mesmo. Antigamente usava aqueles preparados pré-cozidos, que são mais rápidos de se fazer, eu mudei porque eles ficaram muito ruins, granulosos e eu gosto de uma polenta macia, sedosa.

Fazer com fubá demora mais, claro, só que a textura e o sabor não se comparam.

Eu faço assim:

500g de fubá
2,5 litros de água fria
temperos a gosto (alho batido com cebola, ervas - orégano e tomilho secos, sal, pimenta)

Numa panela bem grande colocar a água e o fubá. Misturar muito bem até dissolver completamente. Adicionar os temperos e levar ao fogo alto, mexendo sem parar, até levantar fervura e engrossar.

Baixar o fogo e cozinhar com a panela semi-tampada por 30 a 40 minutos, mexendo de vez em quando. Cuidado porque espirra.

(Não se preocupe com a quantidade de água, ela vai ser totalmente absorvida. Para uma polenta mais durinha use menos. Essa fica na consistência de um purê de batatas, bem cremosa. Se for fazer para fritar, tem que ser com menos água e deve ser frita só no dia seguinte, empanada em fubá também. A proporção de água que eu uso quando faço para fritar é 500g de fubá para 1 litro e meio de água. Modo de preparo igual.)

Transferir a polenta para uma travessa molhada e alisar a superfície com as costas de uma colher molhada também. Eu coloco um pouco de água em cima da polenta e vou alisando com a colher, a água é rapidamente absorvida.

Enquanto a polenta está no fogo, faça um picadão (porquê ragu nada mais é do que um bom picadão!) com linguiça, carnes, frango, o que tiver. Desta vez usei 1 quilo de patinho em tiras e 3 linguiças calabresas grandes.

Comece com um refogado básico de alho e cebola, frite as carnes e a linguiça. Adicione molho de tomate, caseiro de preferência, um pouco de água, acerte temperos e sal. Cozinhe até amaciar, pode ser na panela de pressão se preferir. Em torno de 20 a 30 minutos na pressão, um pouco mais se não for na pressão.

Sirva uma porção de polenta e sobre ela uma concha generosa de carne. Queijo ralado e azeite em abundância combinam muito bem.

Fica ótimo com carne moída, com um refogado só de vegetais (legumes e verduras!), com frango em pedaços ou desfiado, só com linguiça, com paio, enfim, com qualquer coisa que tenha um molhinho delicioso! Bem quente, bem caseiro. Bom demais.

Polenta com Ragu de Linguiça e Carne na Cozinha do Quintal


Cozinha do Quintal, por Paula Mello. Todos os direitos reservados. 2009-2020.



Subir