Bolo Floresta Negra Trufado

em 13 de maio de 2020


Bolo Floresta Negra Trufado Cozinha do Quintal


Minha filha Fernanda completou 21 anos no dia 11 e para comemorar eu fiz este bolo, que ficou do jeito que ela queria. Na verdade é a adaptação e junção de uma massa ótima e dois recheios muito bons.

Eu não sou de fazer bolos elaborados e confesso que não tenho o dom da decoração, mas em termos de sabor ficou sensacional e recomendo que você experimente.

A massa é a de sempre: Nega Maluca. Não tem massa melhor nesse mundo de bolo na minha opinião: com achocolatado a gente consegue um resultado mais doce, perfeito pra criançada. Com cacau em pó ou chocolate em pó, o resultado é um bolo mais fino, rico, de sabor intenso de chocolate, com textura perfeita para aguentar recheios.

Como a minha avó dizia, não inventa! Por isso meus bolos de chocolate sempre ficam bons rsrs

Bolo Floresta Negra Trufado


Massa

3 ovos inteiros
3 xícaras de farinha de trigo
2 xícaras de açúcar
1 xícara de óleo
1 xícara de leite em temperatura ambiente
1 xícara de chocolate em pó ou cacau em pó
1 colher de sopa de fermento em pó
1 colherinha de bicarbonato de sódio
1 pitadinha de sal

Misture todos os ingredientes muito bem, até obter uma massa lisa, cremosa e uniforme.

Coloque em 2 formas untadas e enfarinhadas e leve para assar em forno pré-aquecido a 180 graus por 30 a 40 minutos, ou até que enfiando um palito no centro dos bolos, ele saia limpo.

Minhas formas são iguais e têm 20 cm de diâmetro e 4 cm de altura com fundo removível, então untei o fundo com margarina, coloquei um disco de papel manteiga e untei o papel manteiga. A seguir enfarinhei bem.

Deixe esfriar e desenforme. Retire a parte de cima dos bolos para que todos os discos fiquem bem retinhos, todos iguais. Você pode congelar essas "tampas" de bolo e usar depois.

Corte cada bolo ao meio não sentido horizontal para obter 4 discos de massa.

** Dicas:
Use os ovos e o leite em temperatura ambiente, faz toda a diferença.
Peneire a farinha junto com o açúcar e o chocolate, fica um bolo muito mais leve.
Use óleo de girassol.

Bolo Floresta Negra Trufado Cozinha do Quintal


Recheio de Chantilly e Cerejas em Calda


1 caixinha de Amélia-mix ou outro bate-chantilly da sua preferência ou chantilly fresco (500 ml)
2 vidros pequenos de cerejas em conserva (300g no total)

Escorra as cerejas sobre uma peneira e reserve a calda. Separe algumas para decorar e pique as restantes. Reserve.

Bata o chantilly até obter picos firmes. Separe em 2 porções iguais. Em uma porção acrescente as cerejas escorridas e picadas e misture bem. Mantenha as duas porções na geladeira até a hora de usar.

Recheio de Trufa de Chocolate


1 caixinha de creme de leite
1 colher de sopa de manteiga
150g de chocolate em barra da sua preferência (usei 100g ao leite e 50g meio amargo)

Em uma panela de fundo grosso leve ao fogo baixo o creme de leite, a manteiga e aqueça. A seguir, coloque o chocolate bem quebrado em pedaços pequenos e misture com uma espátula. Continue misturando até derreter. Retire do fogo e passe para um recipiente. Leve à geladeira para ficar consistente, bem cremoso. Isso deve demorar umas 2 horas. Se estiver com pressa, coloque no congelador e acompanhe para ver o ponto.

Bolo Floresta Negra Trufado Cozinha do Quintal

Montagem do Bolo Floresta Negra Trufado


Em um prato de servir coloque 1 disco de bolo, regue com a calda e coloque metade do recheio de chantilly com cerejas. Adicione o segundo disco de bolo e regue.

Leve ao congelador ou freezer por 20 a 30 minutos.

Prepare uma tira de papel alumínio de mais ou menos uns 10 cm, ou use papel manteiga, ou uma tira de acetato se você tiver, ou ainda uma cartolina forrada com papel alumínio ou papel manteiga. Retire o bolo do freezer e coloque a tira preparada em volta do bolo todo, juntando bem para que a tira fique bem ajustada ao bolo. Coloque uma fita adesiva para segurar a ponta da tira, ou amarre com uma fita ou barbante.

A seguir, despeje todo o recheio de trufa sobre o bolo, espalhe uniformemente para cobrir todo o disco, ajeite com uma colher e em seguida, coloque mais um disco de massa e regue bem com a calda. Leve novamente ao freezer ou congelador por 20 a 30 minutos.

A última camada: retire do freezer e espalhe a outra metade do recheio de chantilly com cerejas, cobrindo bem e com cuidado para não rasgar o papel alumínio. Coloque o último disco de massa e regue bem com a calda. Leve novamente ao freezer por no mínimo 1 hora.

Prá facilitar, a sequência é assim:

disco
chantilly com cerejas
disco
trufa
disco
chantilly com cerejas
disco
cobertura de chantilly

Retire do freezer e cuidadosamente remova a tira de papel, com o máximo de cuidado para não quebrar as laterais do bolo.

Cubra com o chantilly restante reservado e decore a gosto. Eu coloquei cerejas e chocolate ao leite branco ralado. Você pode usar também granulado, raspas de chocolate ao leite, meio amargo, pode usar frutas, enfim, vai do que tiver em mãos ou do que gostar.

Leve à geladeira por 2 horas antes de servir. Rendeu 10 porções muito generosas.

Bolo Floresta Negra Trufado Cozinha do Quintal


Cozinha do Quintal por Paula Mello. Todos os direitos reservados. 2009-2020

Polenta com Ragu de Linguiça e Carne

em 1 de maio de 2020

Polenta com Ragu de Linguiça e Carne na Cozinha do Quintal

Comida de conforto que eu adoro, é simples, fácil, delícia para noites mais frias ou para quando são muitas bocas para comer.

Polenta é uma das comidas mais antigas do mundo. Dizem que os soldados romanos comiam uma versão feita com aveia, porque o milho é das Américas e naquele tempo eles ainda não conheciam o grão.

Quando o milho chegou na Europa, na época dos "descobrimentos" (entre aspas porque o descobrimento foi deles, certo? A gente já existia!) o ingrediente se espalhou e os italianos se apropriaram da polenta, que na minha opinião é muito nossa: o angu de fubá alimentou milhões de índios nas Américas, também os escravos e continua alimentando nosso povo há séculos.

Na segunda guerra os pracinhas brasileiros faziam polenta na tábua: uma porção de polenta gigante coberta com carnes cozidas - carnes que eram caçadas na hora e podiam incluir de tudo... cada um pegava um naco de pão e retirava uma porção de polenta e de carne. Assim vários soldados podiam comer juntos sem ter os confortos de pratos e talheres.

Eu gosto de fazer com fubá mesmo. Antigamente usava aqueles preparados pré-cozidos, que são mais rápidos de se fazer, eu mudei porque eles ficaram muito ruins, granulosos e eu gosto de uma polenta macia, sedosa.

Fazer com fubá demora mais, claro, só que a textura e o sabor não se comparam.

Eu faço assim:

500g de fubá
2,5 litros de água fria
temperos a gosto (alho batido com cebola, ervas - orégano e tomilho secos, sal, pimenta)

Numa panela bem grande colocar a água e o fubá. Misturar muito bem até dissolver completamente. Adicionar os temperos e levar ao fogo alto, mexendo sem parar, até levantar fervura e engrossar.

Baixar o fogo e cozinhar com a panela semi-tampada por 30 a 40 minutos, mexendo de vez em quando. Cuidado porque espirra.

(Não se preocupe com a quantidade de água, ela vai ser totalmente absorvida. Para uma polenta mais durinha use menos. Essa fica na consistência de um purê de batatas, bem cremosa. Se for fazer para fritar, tem que ser com menos água e deve ser frita só no dia seguinte, empanada em fubá também. A proporção de água que eu uso quando faço para fritar é 500g de fubá para 1 litro e meio de água. Modo de preparo igual.)

Transferir a polenta para uma travessa molhada e alisar a superfície com as costas de uma colher molhada também. Eu coloco um pouco de água em cima da polenta e vou alisando com a colher, a água é rapidamente absorvida.

Enquanto a polenta está no fogo, faça um picadão (porquê ragu nada mais é do que um bom picadão!) com linguiça, carnes, frango, o que tiver. Desta vez usei 1 quilo de patinho em tiras e 3 linguiças calabresas grandes.

Comece com um refogado básico de alho e cebola, frite as carnes e a linguiça. Adicione molho de tomate, caseiro de preferência, um pouco de água, acerte temperos e sal. Cozinhe até amaciar, pode ser na panela de pressão se preferir. Em torno de 20 a 30 minutos na pressão, um pouco mais se não for na pressão.

Sirva uma porção de polenta e sobre ela uma concha generosa de carne. Queijo ralado e azeite em abundância combinam muito bem.

Fica ótimo com carne moída, com um refogado só de vegetais (legumes e verduras!), com frango em pedaços ou desfiado, só com linguiça, com paio, enfim, com qualquer coisa que tenha um molhinho delicioso! Bem quente, bem caseiro. Bom demais.

Polenta com Ragu de Linguiça e Carne na Cozinha do Quintal


Cozinha do Quintal, por Paula Mello. Todos os direitos reservados. 2009-2020.

Faça e Venda Coxinha Profissional

em 20 de abril de 2020

Faça e Venda Coxinha Profissional - a melhor receita! Na Cozinha do Quintal, o blog do empreendedor de alimentação.

Pão Caseiro com Fermentação Natural

em 17 de abril de 2020

Receita tradicional francesa do pão Gâche, com fermentação natural. Cozinha do Quintal.



Subir